segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Dedico as mulheres que amam mulheres


Anoiteceu

A madrugada veio
Não consigo dormir
Saio do quarto, vou para sala
Abro a janela, a luz da
Lua reflete meu rosto
Não tenho vergonha dela
Como vim ao mundo
Observo a majestade
Sorrindo

A passagem das nuvens
Brisa leve sopra
Sinto a minha pele lisa
Macia, falando por si
Meus cabelos lançados nas costas
Provoca sensação fantasiosa

Não sei o que há
O lençol umedecido
Revela a minha tensão
O meu excesso de afeto
Em vão, estou sozinha
Mas não me dou por vencida
Resolvo tomar um banho
Deixo a água cair devagar
pelos ombros.
E descendo se encontram
Molhando meu corpo todo
O sabonete parece me conhecer
A água morna me deixa solta
Os movimentos criam a ação dengosa
Prazerosa,
Não paro até sentir aquela sensação

É, essa mesma!

Termino o banho, ainda estou
Ofegante, dissimulada
E você não veio
Ilusão que nunca aparece
Minha mente faz isso, me enlouquece
Então me despeço
Tenho medo
Sei o que você viu, não posso me enganar
Podia ter sido antes...
Não durmo, mas escrevo

As linhas, desenhos me levam para outros mundos
Sem lei, nem pudor
Falo me liberto nas letras
Ela me aceita
 Eu me acalmo
     Durmo depois ...
  •                                                                                                                              Samanta Biotti

2 comentários:

  1. Ehh... Esse eu realmente eu nao tinha visto...

    Da hORA!!!...

    ResponderExcluir
  2. E aí Romeo!

    Que bom que curtiu, fiquei feliz!

    Paz

    ResponderExcluir

Já olhou pro céu hoje?